Cirurgia Bariátrica2019-02-26T21:22:12+00:00

CIRURGIA BARIÁTRICA

O que é cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica, hoje também conhecida como Cirurgia Bariátrica e Metabólica, é um tipo específico de cirurgia feita sobre o aparelho digestivo (estômago e intestino) para tratamento da obesidade e das doenças que a obesidade provoca ou piora, como diabetes tipo 2, hipertensão arterial (pressão alta), problemas com o colesterol, apneia do sono, entre outros.
A Obesidade atualmente é considerada uma das doenças mais graves e comuns do mundo, sendo responsável direta e indiretamente pelo adoecimento e morte de milhões de pessoas por ano no mundo.

Meu convênio cobre a Cirurgia Bariátrica?2019-02-13T14:18:22+00:00

Sim, todo convênio tem por dever seguir as orientações de cobertura da ANS, a agência nacional que regula os planos de saúde. Já há vários anos a ANS incluiu a cirurgia bariátrica como tratamento de cobertura obrigatória, e mais recentemente acrescentou que a cirurgia bariátrica por via laparoscópica (ou “por vídeo”) deveria estar entre os procedimentos cobertos.

Converse sempre com seu Cirurgião para obter as informações de forma completa e detalhada.

Fontes:
1. https://www.sbcbm.org.br/
2. Hruby A, Hu FB. The Epidemiology of Obesity: A Big Picture. Pharmacoeconomics. 2015;33(7):673-89.
3. Swinburn BA, Kraak VI, Allender S, Atkins VJ, BakerPI,BogardJRet al. The Global SyndemicofObesity, Undernutrition, andClimateChange: The Lancet Commissionreport [acesso em 02 Fev 2019]. Lancet 2019 Jan 27. Disponível em:http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(18)32822-8

Quais são os tipos de Cirurgia Bariátrica?2019-03-20T20:59:54+00:00

Há no Brasil 4 tipos principais de cirurgia bariátrica. A escolha da técnica depende muito das características individuais do paciente, que são exaustivamente pesquisadas pela equipe interdisciplinar antes de se fazer a sugestão de uma ou outra técnica. A seguir, um resumo de cada uma delas:

– Gastroplastia redutora em Y de Roux (cirurgia de Fobi-Capela):

Esta cirurgia consiste em confeccionar um estômago pequeno (cerca de 30-50ml), ligando-o diretamente a uma parte mais distante do intestino delgado. Além de reduzir a capacidade volumétrica do estômago, essa técnica faz com que o alimento não seja completamente absorvido, promovendo a perda de peso de forma mista. Alguns cirurgiões colocam um anel de silicone no final do estômago, para estreitá-lo. Não é retirada nenhuma parte do estômago e do intestino, há apenas um “desvio” dessas partes. É um procedimento complexo, e sua maior vantagem é a perda de peso adequada e duradoura.

 

 

 

 

 

– Gastrectomia Vertical (Sleeve):

Nesta cirurgia, é retirada uma parte do estômago (70 a 80%), deixando-o com o formato de um tubo. O emagrecimento se dá pela redução do tamanho do estômago e pela redução de um hormônio responsável pelo apetite. Tem poucos riscos de desnutrição no pós operatório. É uma técnica que pode ser utilizada com sucesso em alguns casos selecionados.

 

 

 

 

 

 

– Derivações Biliopancreáticas:

Há retirada de parte do estômago para diminuir o reservatório alimentar, mas o principal dessas cirurgias é o grande desvio intestinal, que deixa a absorção dos alimentos bastante reduzida. São técnicas que promovem geralmente boa perda de peso, mas com maior risco de desnutrição e deficiências de vitaminas. Por causa disto, hoje são indicadas em poucos pacientes, mas permanecem como uma alternativa em alguns casos.

 

 

 

 

 

– Banda gástrica ajustável:

É uma cirurgia que consiste na colocação de um anel (banda) de silicone em torno da parte de cima do estômago, causando um estreitamento. Isso faz com que o paciente se sinta saciado rapidamente, levando-o assim a comer menos. O grau de estreitamento dessa banda é regulado através da injeção de líquido por um dispositivo que fica embaixo da pele. Assim, o estreitamento pode ser ampliado ou reduzido, conforme a necessidade do paciente. Os resultados em longo prazo são menos efetivos em relação às outras técnicas e a banda pode trazer complicaçõ  es, razão pela qual tem esse procedimento tem sido cada vez menos utilizado.

Imagens: https://www.sbcbm.org.br

 

 

 

 

 

Quais os benefícios da Cirurgia Bariátrica?2019-01-31T15:08:03+00:00

A Cirurgia Bariátrica é atualmente considerado o melhor método para perda e manutenção de um peso adequado em longo prazo. Os tratamentos sem cirurgia (medicação e modificações do estilo de vida) falham com muita frequência, e quando o paciente não apresenta contra indicações, a cirurgia desponta como uma boa alternativa para um ganho real de saúde. Entre as comorbidades que geralmente melhoram muito com a Cirurgia Bariátrica, estão: hipertensão, diabetes, apneia do sono, problemas com o colesterol, dores nas articulações relacionadas ao peso, refluxo gastroesofágico, e até mesmo alterações hormonais relacionadas à fertilidade.

A Cirurgia Bariátrica tem riscos?2019-01-31T15:12:39+00:00

Sim, como todo tratamento médico, principalmente cirúrgico! É muito importante que o paciente saiba que os riscos existem e quais são eles, e a equipe interdisciplinar trabalha em conjunto para fornecer todos os esclarecimentos necessários. Da mesma forma, reforçamos que as técnicas, materiais e equipamentos usados na Cirurgia Bariátrica não param de evoluir, e com isso os riscos nos últimos anos vêm sendo bastante minimizados. As principais complicações que cuidamos sempre para reduzir são: sangramentos, vômitos, infecções, fístulas (abertura dos pontos ou linha de grampos), trombose e embolia pulmonar.

Converse e tire todas as suas dúvidas com a equipe que estiver cuidando do seu pré-operatório!

Quem pode fazer a Cirurgia Bariátrica?2019-01-31T14:41:22+00:00

A cirurgia bariátrica está indicada nos seguintes casos:

  • Pacientes com obesidade grau 1 2 (IMC entre 30 e 34,9 kg/m2) que sejam portadores de doença metabólica grave (p ex, diabetes tipo 2) de difícil controle mesmo com medicação.
  • Pacientes com obesidade grau 2 (IMC entre 35 e 39,9 kg/m2), portadores de mais de uma condição causada pela obesidade e que prejudique a saúde (p ex, hipertensão arterial, esteatose hepática, diabetes, depressão, apneia do sono).
  • Pacientes com IMC igual ou maior que 40, independente de agravos da saúde.

Em todos os casos, é necessário que o paciente esteja em acompanhamento por equipe interdisciplinar que concorde com a indicação do procedimento e, mais do que isso, dê o suporte necessário antes e após a cirurgia para que se alcance o melhor resultado possível com os menores riscos.

Preparação para cirurgia bariátrica: as 11 recomendações fundamentais

1Você pode chegar até a opção pela cirurgia bariátrica de várias formas: por recomendação do seu médico clínico, após conversar com pessoas que já foram operadas, ou mesmo através de informações sobre peso e saúde colhidas na internet. Qualquer que seja seu caminho, tenha sempre em mente que procurar um profissional confiável é muito importante. Procure saber se o cirurgião ou cirurgiã que você procura tem habilitação, experiência e credenciamento adequado junto à Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

2 A primeira consulta é a mais importante para estabelecer vínculo com seu médico e esclarecer algumas dúvidas básicas. Se preciso, anote-as para não esquecer de perguntar no dia. Pode ser que nem todas as perguntas possam ser respondidas em um primeiro contato, e com o transcorrer das avaliações isso pode ser feito de forma gradual.

3 Prepare-se para um período com diversas consultas profissionais e exames. Eles são necessários para duas coisas:

1) assegurar que você é uma pessoa que terá benefícios com a cirurgia;

2) mapear qualquer situação que represente mesmo que um pequeno aumento no risco operatório, buscando fazer toda a prevenção necessária.

4 Os profissionais mais frequentemente envolvidos na avaliação interdisciplinar no pré operatório são: Endocrinologista, Cardiologista, Nutricionista e/ ou Nutrólogo, Psicólogo e/ ou Psiquiatra, Cirurgião Vascular, Fisioterapeuta, Anestesista, Fonoaudiólogo, Pneumologista. Diversos outros especialistas podem ainda fazer parte da avaliação, a depender do quadro clínico do indivíduo.

5 Um alerta importante: os profissionais da equipe interdisciplinar não são apenas emissores de relatórios para autorizar a cirurgia. Eles têm um papel fundamental no preparo, orientação e minimização de riscos antes, durante e após a cirurgia. Alguns destes profissionais devem passar a fazer parte da rotina de saúde do paciente operado com regularidade – Nutricionista e Endocrinologista, por exemplo, devem ser consultados ao menos anualmente mesmo vários anos após a cirurgia.

6 Aos que fumam: é aconselhável deixar de fumar no mínimo 2 meses antes de passar pela cirurgia. Isso diminui os problemas pulmonares, circulatórios e melhora a cicatrização do estômago. O uso do tabaco costuma aumentar as chances de pneumonias, trombose, infarto e úlceras no estômago.

7 Bebida alcoólica não combina muito com boa saúde… e menos ainda com cirurgia bariátrica. Evite o consumo nas semanas anteriores à cirurgia, e converse com os profissionais de Nutrição e Psicologia para entender melhor os efeitos danosos da bebida sobre o organismo, que são ainda maiores em quem passou por gastroplastia.

8 Evite pegar orientações que não sejam de profissionais envolvidos com seu cuidado. Questões sobre dieta, curativos, sintomas e atividades físicas devem ser preferencialmente dadas pela equipe que o acompanha, e nunca por leigos ou material informativo de fonte duvidosa (sites e grupos na internet, por exemplo).

9 Se você faz uso de medicamentos contínuos, não deixe de avisar seu médico para uma orientação adequada de como tomá-los na véspera e após a cirurgia.

10 Procure fazer atividades que diminuam sua ansiedade e o estresse nos dias antes da cirurgia. Caminhadas ao ar livre, boas leituras, moderação na cafeína e repouso adequado podem te ajudar muito a chegar no dia da cirurgia com a mente mais tranquila e contribuir para sua recuperação.

11 E lembre-se: o tratamento da obesidade não termina na cirurgia: ele começa com a cirurgia! Faça dos profissionais envolvidos seu grande ponto de apoio rumo a uma vida equilibrada, saudável e feliz! 🙂

AUTORA

Ana Carolina da Costa Mello Moreira
Ana Carolina da Costa Mello Moreira Cirurgiã do Aparelho Digestivo – CRMSP 130.766
• Título de Especialista em Cirurgia do Aparelho Digestivo pelo CBCD (Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva)
• Certificada com Área de Atuação em Cirurgia Bariátrica e Metabólica pela SBCBM (Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica)
• Pós Graduada em Cirurgia Bariátrica e Metabólica no Hospital Alemão Oswaldo Cruz (São Paulo – SP)
• Cirurgiã Assistente do Grupo de Cirurgia Bariátrica de Valinhos – GCBV
• Membro Titular da SBCBM e CBCD, e também membro da IFSO – International Federation for the Surgery of Obesity and Metabolic Disorders)

Entre em contato

Gostaria de maiores informações, tem alguma dúvida ou quer marcar uma consulta?
Entre em contato conosco.

ENTRAR EM CONTATO